"About photography and something more". 

 

Fotografia de natureza*

Uma entrevista com Frans Lanting, fotógrafo da National Geographic, sobre o estado da arte da fotografia de natureza. Lanting fotografou com filme e hoje utiliza intensivamente os recursos digitais.

A extraordinária importância da fotografia de natureza no cenário mundial contrasta com o baixo interesse e mesmo desprezo demonstrado pela mídia e pelos mais conhecidos meios da fotografia no Brasil por esse tipo de trabalho. Aqui predominam a fotografia de eventos (casamento, principalmente), o retrato, a publicidade com todas as suas subdivisões – moda, comida, arquitetura etc – e, lá embaixo, o fotojornalismo e a fotografia urbana, mais ou menos nessa ordem hierárquica. Paisagem e natureza parecem coisas menores.

Temos fotógrafos de natureza brasileiros premiados em nível internacional e os meios de comunicação não dão a mínima importância, com raras exceções.

Ler a entrevista com Lanting reforça a esperança no tipo de fotografia que, mais do que documental, nos mostra a beleza do mundo, divulga a luta pela preservação ambiental e restaura a esperança – às vezes perdida – de que a Terra possa ser um planeta melhor para todos.

 

lead

foto de Frans Lanting, Outdoor Photographer

http://www.outdoorphotographer.com/locations/north-america/the-state-of-our-art.html#.VTYnW6ZZ2uk

A lomografia: Sarah e as cadelas Kyara e Nell*

Foto feita com uma câmera Holga 120N, com lente de plástico de 60mm.

Os efeitos da baixa qualidade ótica são, às vezes, surpreendentes. Lomografia é isso: fotografar com filme em equipamentos mais simples e obter resultados multi-coloridos e com “soft focus”.

Sarah Kyara Nell

Filme negativo 120, em foto de Júlia Monteiro.

Memória fotográfica*

O Instituto Moreira Salles e a Fundação Biblioteca Nacional uniram forças e lançam, na sexta-feira, o Portal Brasiliana Fotográfica. O site contará com mais de duas mil fotos históricas do século XIX e das duas primeiras décadas do século XX, em um esforço das duas instituições para preservar a memória fotográfica brasileira. Veja aqui.

D PedroII

Imperador D. Pedro II (divulgação)

A igreja do Rosário*

Esta é uma foto de 2004 que tirei da velha Igreja do Rosário no antigo Arraial de Jaraguá, Goiás. A Igreja do Rosário era sempre exclusiva para os negros em todo o Brasil do Império e da escravidão.
Ela me lembra uma frase de um texto que Cora Coralina, a poetisa simples do interior goiano que ganhou universalidade pelo seu talento, escreveu:

“Procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes”.

 

Rosario

 Fuji Neopan Iso 400.